Saiba o que mudou com o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Outubro, 2009

No começo deste ano, entrou em vigor o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, elaborado em 1990 com o objetivo de uniformizar a ortografia de todos os países que possuem o português como língua oficial. Eles são chamados de países lusófonos e estão inclusos o Brasil, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné-Bissau e Timor-Leste.

As principais mudanças aqui no Brasil são as acentuações de algumas palavras, a eliminação do trema e a padronização da utilização do hífen. Nenhuma pronúncia será alterada.

Algumas regras podem causar dúvidas, mas elas são facilmente esclarecidas no site da Academia Brasileira de Letras – ABL – através do link ABL Responde. Também podem ser consultados o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa – Volp – e a 2ª edição do Dicionário Escolar da Língua Portuguesa da ABL, em bibliotecas e livrarias.

Foi estabelecido um período de adaptação no Brasil que termina no final de 2012. A partir do dia 1 de janeiro de 2013, a nova ortografia será considerada a única forma correta de utilização do português.

Mudanças

Alfabeto: Agora é formado por 26 letras. Foram incluídas as letras K, W e Y.

Acentuação gráfica:

- Paroxítonas: palavra cujo acento tônico recai na penúltima sílaba.

1- Não são assinalados com acento gráfico os ditongos EI e OI de palavras paroxítonas:

Estréia – Estreia
Idéia – Ideia
Paranóico – Paranoico
Assembléia – Assembleia
Geléia – Geleia
Jibóia – Jiboia
Apóio – Apoio
Platéia – Plateia
Jóia – Joia
Bóia – Boia
Coréia – Coreia

Lembrar: Herói, papéis e troféu mantêm o acento porque possuem a última sílaba mais forte – oxítonas.

2- Não são assinaladas com acento gráfico as formas verbais creem, deem, leem, veem e seus derivados: descreem, desdeem, releem, reveem etc.

3- Não é assinalado com acento gráfico o penúltimo O do hiato oo(s): Voos, enjoo, abençoo. Os hiatos são o encontro de vogais de sílabas diferentes.

4- Não são assinaladas com acento gráfico as palavras escritas do mesmo modo, mas com sentido diferente – Acento diferencial:

Pára (verbo) – Para
Pará-brisaPara-brisa
Para (preposição)
Péla (substantivo) - Pela
Péla (verbo) - Pela
Pela (per+la)
Pêra - Pera
Pélo (verbo) - Pelo
Pêlo (substantivo) - Pelo
Pelo (per+lo)
Pólo (substantivo) - Polo
Polo (por+lo)

Exceções:
- Conjugação do verbo poder.
Pôde (3ª pessoa do singular pretérito do indicativo)
Pode (3ª pessoa do singular presente do indicativo)

- Diferenciar o verbo pôr da preposição por

Facultativos - dupla grafia:
Dêmos (1ª pessoa do plural presente do subjuntivo)
Demos (1ª pessoa do plural pretérito perfeito do indicativo)
Fôrma (substantivo)
Forma (substantivo; verbo)

Amámos (pretérito perfeito do indicativo)
Amamos (presente do indicativo)
Louvámos (pretérito perfeito do indicativo)
Louvamos (presente do indicativo)

- Oxítonas e paroxítonas:

1- Não são assinaladas com acento gráfico as palavras paroxítonas cujas vogais tônicas I e U são precedidas de ditongo decrescente: baiuca, boiuna, feiura.

2- Some o acento agudo no U forte de verbos como apaziguar, enxaguar, arguir, redarguir:

Apazigúe - Apazigue
Averigúe - Averigue
Ele argúi – Ele argui
Enxagúe você – Enxague você

- Trema:

Totalmente eliminado da língua portuguesa. Exceção às palavras derivadas de nomes próprios estrangeiros com trema: Müller.

Hífen:

Regras gerais após o acordo de 1990, incluindo o que não foi mudado:

1- Usa-se quando o segundo elemento começar com a mesma vogal que termina o primeiro elemento: micro-ondas, anti-inflamatório, arqui-inimigo, semi-integral, micro-organismo.

2- Usa-se quando o segundo elemento começar com H: tele-homenagem, proto-história, sobre-humano, extra-humano, pré-história, anti-higiênico, semi-hospitalar.

3- Não se usa quando o primeiro elemento acabar com vogal e o segundo começar com vogal diferente: socioeconômico, semrido, autoestima, infraestrutura, ultrainterino.

4- Não se usa quando o primeiro elemento terminar em vogal e o segundo elemento começar com R ou S. Nesse caso, a primeira letra do segundo elemento deverá ser duplicada: antissemita, contrarregra, antirreligioso, cosseno, extrarregular, minissaia, biorritmo, microssistema, ultrassom, antissocial.

5- Os prefixos circum e pan juntam-se com hífen somente ao segundo termo iniciado por vogal, H, M e N: circum-ambiente, circum-navegar, circum-escolar, pan-mágico, pan-africano, pan-americano, panceleste.

6- Os prefixos ciber, inter, hiper e super vão com hífen somente junto ao segundo elemento começado por H e R: cibercafé, ciberespaço, interdisciplinar, superamigo, interclasses, super-homem, hiper-requintado, inter-resistente, super-revista.

7- Os prefixos sob e sub juntam-se com hífen ao segundo termo começado por B, H e R: sub-reitor, sub-base, sub-reino, subalugar, subsecretário, subeditor.

8- O prefixo mal se junta com hífen ao segundo termo terminado em vogal e H: mal-estar, mal-humorado, mal-habituado, malsucedido, malnascido, malcriado. Também é usado o hífen quando formar com a outra palavra um adjetivo ou substantivo.

9- O prefixo co sempre se junta ao segundo termo sem hífen: coautor, cooperar, coordenar, cooperação, corresponsável. Exceção quando o segundo termo começar por H: co-herdeiro.

10- Os prefixos além, aquém, bem, ex, pós, pré, pró, recém, sem, vice sempre se juntam com hífen ao segundo elemento: além-mar, bem-educado, bem-criado, bem-nascido, pré-natal, pró-reitor, recém-nascido, sem-terra, vice-campeão.


Fonte: Livro “Escrevendo pela Nova Ortografia” do Instituto Antônio Houaiss – coordenação e assistência de José Carlos de Azeredo - e Folha Online.


voltar
home