Glossário de Papel

Maio, 2010

Na indústria gráfica e na indústria de papel são utilizados diversos termos técnicos referentes à produção e tipos de papel. Aqui estão reunidos alguns verbetes que podem ser consultados para esclarecer dúvidas e acrescentar conhecimento aos profissionais que trabalham com papel.


Abertura em leque da bobina (Fanning-out of web): Aumento da largura de um papel em bobina, causada por absorção de umidade durante a impressão da primeira cor, fazendo com que as próximas cores sejam impressas de forma mais estreita.

Abeto (fir): Árvore conífera cuja madeira é utilizada na fabricação do papel. Termo alternativo: pinheiro.

Absorção de água (water absorption): {A} Propriedade do papel de absorver água durante o processo de impressão ofsete.

- {A} A água absorvida pelo papel enfraquece as ligações entre as fibras de celulose, reduzindo a sua resistência à tração e aumentando a probabilidade de quebra de bobina, principalmente com papéis não colados, como o papel-jornal. Entretanto, o papel deve absorver rapidamente a solução de molhagem transferida durante o processo ofsete, para não prejudicar a transferência da tinta da próxima unidade.

Acabamento acetinado (satin finish): Tipo de acabamento que se dá ao papel em calandra, deixando a superfície com a textura do cetim.

Acabamento em máquina (machine finish): Método de alisamento da superfície do papel, fazendo-o passar entre rolos de calandra na própria máquina de fabricar papel.

Acabamento fosco (matte finish): {C} Tipo de acabamento que se dá ao papel cuchê, com nível de brilho inferior a 55%.

Acabamento gofrado (embossed finish): Tipo de acabamento de papel caracterizado por apresentar alto ou baixo relevo, a fim de imitar madeira, couro, tecido ou outra textura, produzido por gofragem.

Acabamento-linho: [1] (burlap finish). Tipo de acabamento que se dá ao papel lembrando a textura do tecido de estopa, produzido por prensagem do tecido intercalado às folhas de papel, entre placas metálicas, ou gofragem com rolos de calandra gravados com estampa imitando este tecido. [2] (lawn finish). Tipo de acabamento que se dá ao papel, numa prensa de platina, empregando um tecido de linho, sendo o papel umedecido antes da prensagem, utilizado em artigos de papelaria. [3] (linen finish). Tipo de acabamento que se dá ao papel, estampando-o com um padrão imitando a textura do tecido de linho, originalmente produzido por prensagem contra um tecido de linho, hoje realizado por gofragem.

Acabamento supercalandrado: [1] (plate finish) Tipo de acabamento que se dá ao papel para deixar sua superfície intensamente brilhante, obtido por pressão das folhas umedecidas com chapas metálicas polidas.

Acabamento vergê (laid finish): Tipo de acabamento que se dá ao papel cuja textura é constituída de linhas paralelas uniformemente espaçadas, visíveis contra a luz.

Alto-corpo (high bulk): Tipo de papel que tem espessura maior do que outros papéis de mesma gramatura, geralmente utilizado na impressão de livros de poucas páginas, para aumentar a espessura da lombada.

Apagabilidade (erasability): Propriedade dos papéis de escrever relativa à facilidade com que se pode remover a tinta impressa, manuscrita ou datilografada, sem danificar-lhe a superfície.

Apara: [1] (scrap) Fragmentos de papel resultantes do refilo. [2] (trim) Etapa do processo de encadernação que consiste em refilar as bordas dos livros ou revistas em guilhotina linear ou trilateral.

Arrepelamento: [1] (fuzziness) Defeito do papel caracterizado por fibras que se projetam da superfície da folha, prejudicando a qualidade da impressão. [2] (lifting) Defeito que ocorre na impressão caracterizado pelo levantamento de fibras ou partículas superficiais do papel, sem arrancamento, causado por ação do tack das tintas quando as fibras ou partículas estão apenas parcialmente presas ao papel-base.

Alvura (brightness): {C} Refletividade de uma folha de papel ou de celulose a uma luz específica azulada, medida em condições padronizadas, em um instrumento calibrado, geralmente chamada alvura GE, pelo nome do fabricante do instrumento principal.

Barreira: [1] (barrier coat) Revestimento aplicado à face do papel, a fim de promover maior opacidade e/ou evitar a migração do adesivo para a superfície e melhorar a ancoragem do adesivo. [2] (barrier material) Revestimento aplicado ao papel, para torná-lo impermeável ao vapor, gases, água, óleos e outros líquidos.

Blocagem: [1] (blocking) {A} Adesão indesejável das folhas de papel ou camadas adjacentes de uma bobina, causada por umidade, temperatura, constituintes do revestimento, agente de colagem interna ou uma combinação destes.

Bobina: [1] (paper roll) Papel ou cartão produzido em tira contínua, enrolada uniformemente em torno de um eixo ou de um tubo de papelão, numa rebobinadeira, tendo como principais características o diâmetro externo, a largura (formato) e o diâmetro interno do canudo (tubete). [3] (web) Rolo de qualquer suporte que passa continuamente através de uma impressora rotativa, de um equipamento de conversão ou de uma máquina de acabamento.

Branqueamento: [1] (bleaching) {A} Tratamento químico de purificação da pasta de papel, a fim de remover ou alterar as substâncias coloridas presentes, de modo a melhorar a alvura, a estabilidade química e a permanência do papel.

Caderno: [1] (folder) Folha impressa contendo uma ou mais dobras. [2] (gathering) Seção de um livro, geralmente uma folha composta de várias páginas. [3] (section) Cada uma das partes em que se divide um livro, uma revista ou um jornal. [4] (signature) {A} Folha impressa e dobrada, em múltiplos de quatro páginas, para formar uma seção de livro ou revista. {B} Produto impresso numa única revolução do cilindro da chapa de uma impressora rotativa e dobrado ao final da linha.

Calandra: [1] (calender) {A} Máquina constituída de um conjunto vertical de cilindros metálicos polidos e cilindros revestidos com tecido de fibra sintética alternados, entre os quais passa o papel sob pressão, a fim de ser alisado.

Cânhamo (hemp): Fibra obtida de cordas ou da planta de mesmo nome que cresce na América Central e nas Filipinas, empregada na fabricação do papel.

Capa dura (hardcover): {B} Método de encadernação de livros no qual o revestimento da capa é colado sobre peças de papelão rígido e, então, o conjunto é fixado ao miolo do livro.

Capa mole (softcover): {A} Capa de um livro ou de uma revista impressa em papel flexível, geralmente de gramatura superior ao papel do miolo, presa à lombada por meio de grampos ou de adesivo.

Cartão: [1] (board) {A} Papel encorpado, rígido, geralmente com espessura superior a 0,15 mm e gramatura superior a 224 gramas/m², muito utilizado na impressão de embalagens.

- Os cartões utilizados para embalagem e acondicionamento são constituídos de uma ou várias camadas; os cartões para uso industrial são geralmente fabricados em enroladeira; os cartões ondulados são constituídos de papel Kraft ondulado contracolado em uma ou nas duas faces com um papel de cobertura.

- As matérias-primas mais utilizadas na fabricação do cartão são as pastas de papel recuperado. As máquinas de cartão funcionam por projeção de jato (máquina de mesa plana, máquina de dupla tela) ou por deposição da suspensão fibrosa sobre um cilindro, imerso ou não, assegurando o esgotamento (máquina de fôrma redonda); o cartão de enroladeira é fabricado sobre uma mesa plana ao fim da qual a folha úmida é enrolada sobre um cilindro; em seguida as folhas são prensadas e secas.

Cartonagem: [1] (boarding) Processo de fabricação de objetos de cartão, tais como caixas, pastas, jogos, copos, pratos, etc. [2] (bookbinding) Sistema de acabamento de livros revestidos com uma capa dura colada à lombada.

Cavaco (chip): Lasca de madeira da qual se extrai as fibras de celulose usadas na fabricação do papel.

Celulose (cellulose): {A} Polímero natural, de estrutura complexa, que constitui o principal componente das paredes das células das fibras de madeira e de outros vegetais utilizados na fabricação de papel. {C} Material fibroso obtido da madeira e de outros vegetais fibrosos depois que grandes quantidades de lignina e outros carboidratos não celulósicos foram removidos por operações de cozimento e branqueamento; em menor escala, é também chamada de polpa e pasta química.

- A qualidade do papel depende diretamente do tipo e do conteúdo de celulose; o algodão constitui a forma mais pura da celulose, por isso é empregada na produção dos melhores papéis; a madeira contém cerca de 50% a 90% de celulose em peso; o comprimento e a forma das fibras variam conforme o tipo de madeira, resultando em papéis com diferentes características. Além da celulose, a madeira contém hemicelulose e lignina, que são removidas quimicamente no processo de produção da pasta, a fim de aumentar a qualidade do papel.

Colagem (sizing): {A} Propriedade do papel resultante da alteração das características superficiais das fibras através de dois processos: colagem interna, que consiste em tratar a massa, antes da formação da folha, a fim de aumentar-lhe a resistência à penetração de líquidos polares; e colagem superficial, que consiste em revestir a folha acabada, de um ou de ambos os lados, para aumentar-lhe a resistência à água, à abrasão, ao vinco, promover lisura, reduzir a porosidade, aumentar a resistência ao arrancamento e melhorar a printabilidade.

Efeito mola (springback): Tendência do papel ou do cartão de retornar à sua condição plana após ter sido dobrado.

Emenda: [1] (butt) Porção de uma bobina de papel que não pode ser utilizada. [2] (butt splice) Junção das extremidades de dois materiais, como duas bobinas de papel.

Empilhadeira (stacker): Máquina destinada a transportar e a arrumar as resmas ou as bobinas de papel no armazém onde o papel é estocado, assim como movimentar os estrados de folhas ou de cadernos impressos do setor de impressão para os setores de acabamento.

Encadernação (binding): {B} Junção das páginas de um produto impresso pelo emprego de determinadas operações tais como: grampeação, colagem, costura, etc.

Encanoamento: [1] (back-edge-curl) Curvatura que se desenvolve na borda de uma folha impressa, pelo processo ofsete, por causa da impressão de elevada carga de tinta próxima da contrapinça, ou em razão do excesso de solução de molhagem absorvida pelo papel.

Esguicho (squirt): Jato d´água que refila as bordas do papel nas extremidades da tela da máquina fabricadora.

Esparto (esparto): Espécie de gramínea de fibra curta, que cresce no norte da África e na Espanha, utilizada como fonte de fibras de celulose para a fabricação de papel de livro.

Esquadrado (squared): {A} Diz-se de um papel cujas folhas foram refiladas para garantir ângulos retos. {B} Cortado em ângulo reto.

Estreitamento de bobina (fanning-in of web): Redução da largura de uma bobina de papel após a impressão de uma das cores, de modo que as cores subseqüentes saiam impressas mais largas do que as anteriores.

Eucalipto (eucalyptus): Árvore de madeira dura, cujo crescimento é rápido, que se constitui na principal fonte de matéria-prima para a fabricação de pasta de celulose e de papel de fibra curta.

Extração da polpa (pulping): Processo de separação da celulose da madeira ou de outros materiais fibrosos na etapa que antecede à fabricação do papel.

Fábrica de papel (paper-mill): Complexo industrial onde se fabrica o papel a partir da polpa de celulose; a pasta de celulose pode ser produzida em instalação integrada ou não à própria fábrica de papel.

Fibra de celulose (cellulose fiber): Material fibroso que permanece após a remoção dos componentes não-fibrosos da madeira, utilizado como principal componente na fabricação do papel.

- A celulose constitui a espécie vegetal mais abundante na natureza; teoricamente, qualquer vegetal poderia ser usado como fonte de fibras para a produção do papel, entretanto, apenas algumas espécies mostraram-se economicamente viáveis, dentre elas: a madeira (eucalipto, pinho), o bambú, o sisal, o cânhamo e outras.

Fluxo do papel (flow of paper): Desempenho do papel durante o processo de impressão, o qual depende dos seguintes requisitos: planicidade, tendência à ondulação, empilhamento correto, alinhamento no alimentador e ajuste de todos os elementos da impressora responsáveis pelo transporte do papel.

Formação do papel (paper formation): {A} Característica da folha de papel determinada pelo grau de uniformidade de seus componentes sólidos, em especial do material fibroso, julgada pela aparência visual da folha quando olhada por transparência. Tem influência na maioria das características e propriedades do papel.

Gofragem: [1] (embossing) Processo de decoração de papel ou de cartão com texturas em relevo, pela pressão contra chapas ou cilindros gravados.

Gramatura: [1] (basis weight) {A} Massa de uma folha de papel expressa em gramas por metro quadrado (g/m²).

Guarda: [1] (end leaf) {A} Folha de papel resistente, geralmente de cor diferente e ornamentada, dobrada para formar duas folhas, uma das quais é colada à parte interna da capa do livro, e a outra permanece solta.

Impermeabilização (impermeabilization): {A} Recurso utilizado para tornar o papel ou cartão impermeáveis, por processos de envernizamento, de plastificação, de laminação, etc.

Índice de corpo (bulk índex): Valor numérico que expressa a relação entre a espessura e a gramatura de um papel de impressão, determinado pelo valor da espessura de uma folha, medida em milímetros, dividida pela gramatura (expressa em gramas por metro quadrado).

- O índice de corpo é importante no cálculo da lombada de livros e de revistas, avaliado segundo a norma TAPPI T500, simulando a compressão que um livro sofre durante a encadernação, e expressa o número de páginas por polegada (ppi) quando multiplicado por 2; o índice do corpo é usado para comparar papéis de mesma gramatura, e corresponde à relação da espessura dividida pela gramatura de uma folha de papel.

Macarrão: [1] (insert) {A} Folha solta, de duas páginas, acrescentada às folhas duplas de quatro páginas de um jornal. {B} Caderno menor, ou de folhas menores que a dos outros cadernos, acrescentado a uma publicação. [2] (narrow web) Bobina estreita utilizada para a impressão de encartes de duas páginas de jornal.

Macroporosidade (macroporosity): Características de papéis e de cartões de impressão que apresentam poros capilares de diâmetro relativamente grande e, por isso, são muito absorventes.

Manuseio de papel (paper handling): Conjunto de operações que envolvem o transporte, a armazenagem e a manipulação do papel durante os processos de ambientação, refilo, impressão e acabamento.

Memória de dobra (crease retention): Característica do papel ou do cartão de manter-se dobrado após a operação de dobra, sem auxílio de adesivos, tal como deve ocorrer em sobrecapas, envelopes, bulas, etc.

Memória de papel (paper memory): Propriedade que descreve a curvatura permanente de uma folha de papel ou de cartão que ficou enrolada durante certo tempo.

Microporosidade (microporosity): Característica de papéis e de cartões de impressão que apresentam poros capilares de diâmetro relativamente pequeno, favorecendo a filtração seletiva e a secagem das tintas.

Número de corpo (bulking number): Quantidade de folhas contidas em uma resma de uma polegada (25,4 mm) de espessura, medido sob pressão especificada.

- O número de corpo dá uma indicação da espessura do miolo de um livro e serve para projetar a lombada da capa de livros encadernados; quando multiplicado por 2, o número de corpo corresponde ao número de páginas por polegada (ppi), visto que cada folha contém duas páginas.

Número de flexão (bending number): Valor que expressa a qualidade de dobragem de um cartão e determina a sua adequação à conversão em caixas, sem romper no vinco ou delaminar as camadas.

Papel (paper): {A} Material constituído de uma pasta de fibras de celulose, cargas minerais e outros produtos, cujas propriedades são adaptadas para atender os requisitos do processo de impressão, do produto e das condições de uso do produto impresso.

Papelão: [5] (paperboard) Material constituído de camadas de folhas de papel laminadas, com espessura igual ou superior a 0,15 mm, ou fabricado com pasta mecânica ou aparas em várias camadas da mesma massa, rígido, produzido nas gramaturas de 500 g/m² a 1400 g/m², utilizado na encadernação de livros, na confecção de caixas e de suportes de cartazes.

Papel apergaminhado (parchment paper): Papel de escrever, opaco, alisado por igual em ambas as faces na própria máquina fabricadora, fabricado com pasta química branqueada, com ou sem aparas, com conteúdo de carga mineral em torno de 16%, colado internamente e sem colagem superficial, produzido nas gramaturas de 50 g/m² a 90 g/m², utilizado para imprimir cadernos, envelopes e almaços.

Papel-bíblia (Bible paper): Papel muito fino, de baixa gramatura, branco, opaco e resistente, permanente e durável, fabricado com pasta química branqueada e cerca de 20% de cinzas, com boa colagem interna e superficial, com ou sem linhas d´água, produzido nas gramaturas de 35 g/m² a 50 g/m², utilizado para imprimir bíblias, missais, dicionários, enciclopédias e obras volumosas.

Papel bufã (bouffant paper): Papel leve, poroso e encorpado, não-acetinado (apenas um leve alisamento em máquina), fabricado com pasta química branqueada (bufã de 1ª), podendo incluir apara mecânica ou manta de jornal (bufã de 2ª), cerca de 20% de carga mineral, sem colagem interna ou superficial e, por isso, muito absorvente, produzido nas gramaturas de 60 g/m² a 120 g/m², utilizado na mimeografia e na impressão tipográfica de livros e talonários.

Papel cortado: [1] (boxed writings) Termo empregado para designar os papéis cortados nos formatos 8 ½ x 11” (21,6 x 27,9 cm), 8 ½ x 13” (21,6 x 33 cm) e 8 ½ x 14” (21,6 x 35,6 cm), embalados em pacotes de 500 folhas, para uso em escritórios.

Papel de segurança: [3] (safety paper) {A} Papel fabricado com pasta química ou mecânica, tratado com produtos químicos especiais que facilitam a identificação de falsificações ou de qualquer adulteração em cheques e em outros documentos legais, tais como: cupons, letras, tíquetes, selos, passes, etc.

Papel florpost (florpost paper): Papel fino, fabricado com celulose química branqueada, com boa colagem interna e sem colagem superficial, acabamento alisado ou monolúcido, em diversas cores, produzido nas gramaturas até 32 g/m², utilizado sobretudo para correspondência e segundas vias de notas fiscais.

Papel gofrado (embossed paper): Papel com superfície texturada (em relevo), imitando madeira, tecido, couro ou outros padrões, obtida por passagem da bobina entre dois cilindros: um metálico gravado (macho) e outro macio, de contrapressão (fêmea).

Papel-imprensa (newsprint): Papel de impressão de jornais e periódicos, fabricado principalmente com pasta mecânica ou mecanoqiímica, com 45 g/m² e 56 g/m², com ou sem linhas d´água no padrão fiscal, com ou sem colagem superficial.

Papel-jornal roto (roto news paper): Papel fabricado com pasta mecânica, calandrado ou supercalandrado, semelhante ao papel-imprensa, porém apresentando receptividade à tinta, ancoragem, compressibilidade e maciez adequadas ao processo rotogravura, utilizado na impressão de suplementos de jornais e de revistas.

Papel kraft (kraft paper): {B} Papel resistente, de cor parda, fabricado com pasta química sulfato de fibra longa, não-branqueada, com elevada resistência ao rasgo, à tração e ao estouro, alisado em máquina, produzido nas gramaturas de 30 g/m² a 90 g/m², usado para produzir sacos, papel de parede, papel de embrulho, envelopes e outros produtos que requerem resistência mecânica.

Papel L1: [1] (bright enamel) Papel revestido e calandrado apenas num dos lados.

Papel-linho: [1] (linen-faced paper) Tipo de papel cujo acabamento lembra o tecido de linho.

Papel livre de ácido (linen-faced paper): {A} Papel sem acidez e sem resíduos químicos de produção. {C} Papel para registro permanente, que deve resistir à deterioração prematura.

Papel manilha (manila paper): Papel de embrulho, colorido ou não, resistente, monolúcido ou não, fabricado com pasta mecânica e/ou semiquímica e aparas de papel, com inclusão de pasta de resíduos agrícolas, produzido nas gramatura de 40 g/m² a 100 g/m².

Papel mate (mat stock): Tipo de papel capa, com acabamento sem brilhos, usado para montar fotografias, imprimir capas de panfletos, etc.

Papel para livros (bookpaper): Termo genérico empregado para descrever um grupo de papéis de categorias superior ao papel de imprensa, feitos de diversos tipos de fibras virgens ou recicladas, apresentando boa formação e printabilidade, utilizados parar imprimir livros e uma ampla variedade de aplicações comerciais, incluindo papéis revestidos e não-revestidos em diversas gramaturas, cores e acabamentos.

Papel reciclado (recycled paper): Papel fabricado a partir de polpa de papel usado, desentintado e branqueado, ou a partir de aparas de impressão ou de conversão.

Papel SC (SC paper): Tipo de papel não-revestido, supercalandrado, fabricado com pasta de alto rendimento, utilizado na rotogravura para impressão de encartes de jornal, catálogos, revistas, etc.

Papel térmico (thermal paper): Tipo de papel reativo, sensível ao calor, que recebe um tratamento superficial com corantes e reagentes químicos, utilizado para fax, etiquetas e impressão térmica.

Pasta: [5] (pulp) Produto constituído de fibras de celulose, obtido por processos mecânicos ou químicos, destinado à fabricação do papel.

Pergaminho (parchment): {A} Folha fina e translúcida feita de pele curtida de ovelha ou de cabra.

Pergaminho vegetal (vegetable parchment): Papel à prova de gordura, com elevada resistência à umidade, produzido por passagem da folha através de um banho de ácido sulfúrico e lavado com amoníaco, para adquirir a aparência de pergaminho.

Printabilidade (printability): {A} Conjunto de atributos dos papéis e das tintas de impressão relativos à qualidade do produto impresso ou à sua adequação ao processo.

- Os principais atributos de printabilidade do papel incluem: uniformidade da cor, uniformidade de transferência da tinta, legibilidade do texto, secagem da tinta, receptividade à tinta, compressibilidade, lisura, opacidade, cor e resistência ao encanoamento. Os principais atributos de printabilidade das tintas incluem: viscosidade, rigidez, tack, grau de dispersão (moagem), secagem e cor. A printabilidade dos papéis e das tintas pode ser avaliada em laboratório, com equipamento como o IGT, o Prüfbau e outros.

Problemas com os papéis (paper problem): Defeitos que ocorrem na impressão ofsete causados por deficiências dos papéis ou dos cartões, tais como: acúmulo de partículas (pó ou falta de resistência superficial do suporte), amarelamento (reversão de alvura do papel), quebra de bobina (ovalização, picotes, furos ou baixa resistência à tração), bolhas (papel muito fechado e muito úmido), decalque (papel muito liso e muito fechado), duplagem (lateral mole da folha ou da bobina), encanoamento (papel muito liso ou com dupla-face acentuada), fibra inchada (papel com pasta mecânica e temperatura do forno muito alta), fora-de-registro (papel ondulado ou instável à umidade), impressão granulada (papel grosseiro), marmorização ou moiré (marcas de tela na folha), rugas (folhas mal cortadas ou bordas das folhas onduladas ou resetadas), pirulito (papel mal colado ou folhas refiladas com faca cega) e outros.

Problema superficial (surface problem): Defeito da superfície de um papel, tal como ciscos, pintas, furos, manchas e outros, que reduz a qualidade do produto.

Resma (ream): Pacote com 500 folhas de papel (ou 20 mãos).

Veludo japonês (japanese vellum): Tipo de papel espesso, fabricado no Japão à base de fibras nativas, com coloração creme ou natural, caracterizado por apresentar resistência elevada, formação nublada, boa rigidez e durabilidade, utilizado para imprimir certificados.


Fonte bibliográfica: Glossário International Paper


Acesse também:

- Glossário de Sustentabilidade
- Glossário da indústria gráfica – Termos técnicos de pré-impressão
- Glossário da indústria gráfica – Termos técnicos de acabamento




voltar
home